Make your own free website on Tripod.com








Família Pozzebon
Correlação Histórica com o Brasil













Home | Introdução | O emigrante Giovanni | Geografia | Pequena História da Unificação | Correlação Histórica com o Brasil | Motivos da Emigração | A viagem | A viagem de Giovanni Pozzebon | Amparo na época | Breve História da Família no Brasil | Genealogia | Bibliografia e Links | Contato





Ao longo da segunda metade do século 19 o comércio internacional do café experimentava um enorme crescimento. À medida que se avolumava e tornavam-se mais fortes os movimentos abolicionistas, cresciam as preocupações com a lavoura, totalmente dependente da mão de obra escrava. Iniciam-se as discussões sobre a vinda de imigrantes para o Brasil. A partir de 1870, com a introdução de mão de obra assalariada, a imigração, antes uma opção, torna-se uma necessidade.
A proibição do tráfico de escravos (1850), a Lei do Ventre Livre e a Lei dos Sexagenários (1885), culminando com a abolição da escravatura (1888), foram os principais fatores que provocaram a criação de uma política de incentivo à imigração.
A autoridade para trazer imigrantes, antes sob controle do governo imperial, é delegada aos estados, então províncias. A província de São Paulo estabeleceu sua própria política de imigração. Os fazendeiros paulistas uniram-se e fundaram, em 1886, a Sociedade Promotora da Imigração, que tornou-se responsável, juntamente com o governo provincial pela definição da política de imigração de São Paulo.
Uma propaganda maciça, onde o Brasil era mostrado como um paraíso, promissor, aliada às promessas de vantangens como moradia, alimentação, salário, e principalmente, possibilidade de compras de terras, e por fim, o financiamento das passagens influenciou a imigração voluntária. Essa facilidades possibilitaram a saída de grandes contingentes de camponeses e lavradores assalariados de certas regiões da Itália, que dificilmente teriam condições de pagar a viagem.

Motivos da Emigração

Motivos da Emigração